Scroll Top

Saúde

Hipertensão Arterial

Hipertensão Arterial
Compartilhe com seus amigos!!!

A hipertensão arterial é uma doença crônica que consiste no aumento da pressão arterial. Uma característica desta doença é que não há sintomas claros e estes não se manifestam durante muito tempo.

Atualmente, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte em vários países, contudo, a hipertensão é uma condição tratável.

Se as recomendações do médico não forem seguidas, podem levar a complicações graves, como infarto do miocárdio, derrame cerebral ou trombose, que podem ser evitados se devidamente controlados.

Plano Detox

As artérias são as primeiras que sofrem as consequências da hipertensão, se endurecem a medida que suportam a pressão arterial alta e contínua. Elas engrossam e com isso dificulta a passagem do sangue através delas. Isto é conhecido como a arteriosclerose.

De acordo com a Sociedade Médica Internacional da Luta Contra a Hipertensão, em vários países, existem mais de 14 milhões de pessoas com esta enfermidade e deste montante, 9,5 milhões não são controlados e 4 milhões não são diagnosticados.

Causas da Hipertensão Arterial

Embora ainda as causas específicas de hipertensão não sejam conhecidas, se reconhece que há uma ligação com um certo número de fatores que estão normalmente presentes na maioria das pessoas que sofrem.

Convém separar daqueles relacionados à hereditariedade, sexo, idade e raça e, portanto, ligeiramente modificada, daqueles que poderiam ser alterados variando hábitos, o ambiente e os costumes dos povos, tais como obesidade, sensibilidade de sódio, o consumo excessivo de álcool, uso de contraceptivos orais e de vida muito sedentária.

Causas não modificáveis da Hipertensão Arterial

Fatores genéticos:

A predisposição a desenvolver pressão arterial está ligada a um parente de primeiro grau que tenha essa condição. Embora que o mecanismo exato seja desconhecido, a evidência científica tem mostrado que quando uma pessoa tem um pai (ou ambos) com a hipertensão, as chances de desenvolver hipertensão são o dobro dos outros com ambos os pais, sem problemas de hipertensão.

Sexo:

Os homens são mais predispostos a desenvolver pressão alta do que as mulheres até que atinjam a idade da menopausa.

A partir dessa etapa a frequência em ambos os sexos é equalizada. Isso ocorre porque a natureza dotou as mulheres com um hormônio que as protege enquanto estão na idade fértil (estrogênio) e, portanto, têm um menor risco de doenças cardiovasculares.

No entanto, as mulheres jovens que tomam pílulas anticoncepcionais têm um maior risco de desenvolver doenças cardíacas.

Idade e raça:

A idade é outro fator que tem influência direta na pressão sanguínea, de modo que a pressão arterial sistólica ou máxima ou a diastólica mínima, aumentam com a idade e logicamente há um número maior de pacientes hipertensos com o aumento da idade.

Quanto à raça (etnia), os indivíduos negros são duas vezes mais propensos a desenvolver hipertensão do que os brancos, além de ter um pior prognóstico.

Causas Modificáveis da Hipertensão Arterial

Sobrepeso e obesidade

Indivíduos com sobrepeso são mais propensos a ter pressão arterial mais elevada do que um indivíduo com peso normal. A medida que o peso aumenta a pressão sanguínea sobe e isso é muito mais evidente em pessoas com idade inferior a 40 anos e em mulheres.

A frequência de hipertensão entre os obesos, independentemente da idade, é entre duas e três vezes maior do que os indivíduos com peso normal.

Não está muito claro se é o próprio peso a causa da hipertensão, ou se existe um fator associado que aumenta a pressão em pessoas obesas, embora as pesquisas recentes sugerem que a obesidade se associa com outras séries de alterações que seriam, em parte, responsáveis pelo aumento da pressão arterial.

Também é verdade que a redução de peso faz com que essas alterações desapareçam.

Outras Causas da Hipertensão Arterial

Vasculares

Entre 2,5 e 6 por cento dos problemas relacionados com o rim, podem influenciar o aparecimento da hipertensão. Na verdade, eles representam entre 2,5 e 6 por cento dos casos. As principais patologias vasculares que influenciam são:

• Doença renal crónica.
• Tumores produtores de renina.
• Síndrome de Liddle.
• Estenose da artéria renal.

Endocrinológicas

As causas endócrinas representam entre 1 e 2 por cento. Aqui são encontrados desequilíbrios hormonais exógenos e endógenos que refletem em problemas de hipertensão. As causas exógenas incluem a administração de corticosteróides.

Cerca de 5 por cento das mulheres que tomam contraceptivos orais podem desenvolver hipertensão. Fatores de risco associados ao uso de anticoncepcional oral incluem doença renal leve e obesidade.

Os anti-inflamatórios não esteróides (AINE) podem ter efeitos adversos sobre a pressão arterial. Estas drogas bloqueiam tanto tanto a ciclo-oxigenase-1 (COX-1) como enzimas COX-2. A inibição da COX-2 pode inibir o seu efeito natriurético, que, por sua vez, aumenta a retenção de sódio. AINEs também inibem os efeitos vasodilatadores de prostaglandinas e de produção de vasoconstritores, isto é, a endotelina-1. Estes efeitos podem contribuir para a indução da hipertensão num paciente normotenso ou hipertensão controlada.

Sintomas da Hipertensão Arterial

De acordo com o Dr. Franciny Salles, médico neuropsiquiatra que coordena programas de orientação comportamental de luta contra a hipertensão, “a maior limitação na hora de detectar hipertensão é que a maioria dos casos de hipertensão passam sem que haja quaisquer sintomas e, portanto, a doença não é detectada, assim aumentando o risco de graves consequências ao paciente”.

O Dr. Franciny indica que há sintomas inespecíficos, como dores de cabeça, que ajudam a detectar porque em alerta o paciente que decide ir ao médico ou ir a uma farmácia e assim podendo ter a possibilidade de tomar a pressão e constatar o aumento da pressão. No entanto, esses sintomas não podem ser atribuídos à hipertensão, porque eles coincidem no tempo em resposta à dor.

No caso de pacientes hipertensos que não tiveram um diagnóstico por um longo período de tempo, muitos médicos especialistas na área dissem que essas pessoas podem sofrer, em certo momento, algum tipo de complicação, tais como angina de peito.

Tratamento da Hipertensão Arterial

Quando iniciar o tratamento contra a hipertensão, há algo fundamental que deve ser incluído:

O paciente tem que ter uma dieta saudável, reduzir a ingestão de calorias de açúcares e gorduras e aumentar o exercício físico.

Estas duas práticas resultaram num melhor controle do peso e ajuda a estar bem controlado. É uma forma simples para controlar a hipertensão.

Quando o paciente hipertenso já é identificado, parte do seu tratamento é controlar o seu peso, evitar ganhar quilos, ter uma vida ativa e evitar hábitos sedentários.

Finalmente, vários médicos recomendam, que se o paciente é fumante, deve abandonar o consumo de cigarros e se costuma consumir álcool, é aconselhável reduzir consideravelmente o consumo.

Continue acompanhando as nossas postagens curtindo a nossa fan page !

Até a próxima!

Produtos recomendados:
Método Emagreça com o Doutor Rocha
Método Emagrecer de Vez
Programa Diabetes Controlada com Dr. Rocha
Programa de Emagrecimento Corpo D21
Treino Feminino Pro
Dieta Detox – Semana Detox

Quer receber Grátis o primeiro capítulo do ebook Emagrecer de Vez em seu e-mail?
Clique na imagem abaixo!


Primeiro Capítulo gratis do Emagrecer de Vez

Compartilhe com seus amigos!!!
Emagreça com o Dr. Rocha